Emotions Celorico

A Emotions surge como um projeto inovador que pretende ligar tudo aquilo que o Norte de Portugal (minho, trás-os-montes e alto-douro) tem para oferecer. Estas regiões, unidas pelo rio Tâmega, resguardadas pelo Monte Farinha e abençoadas pela natureza, são o ponto de partida para uma grande aventura.

Em parceria com as mais conceituadas unidades hoteleiras, de Turismo Rural e Quintas de Enoturismo, a Emotions promove atividades desportivas, radicais, culturais e gastronómicas para que famílias, empresas e grupos possam disfrutar do verdadeiro conceito “Emotions”.

No que toca a Todo Terreno Turístico, foram mais longe… Portugal é um país extremamente seguro, carregado de História, gastronomia e cultura, com um clima ameno, fazendo deste pequeno país um autêntico “paraíso” para os amantes de Todo Terreno Turístico. Com uma disparidade de “pistas” incrível, desde areia, montanha, planícies e planaltos, o “Emotions Portugal TT” leva-o a conhecer os mais assombrosos recantos de Portugal, com proeminente destaque para o ingrediente Histórico, Cultural e Gastronómico de cada Região. De Norte a Sul do país, organizam eventos memoráveis, circulares ou em progressão, com ou sem alojamento, nas mais eminentes unidades.

Emotions Celorico Linha de Apoio à Qualificação da Oferta Programa APOIAR.PT Linha de Apoio ao Turismo Becorporate Consultoria em Projetos de Investimento Incentivos Fundos Comunitários

No âmbito da mais recente colaboração com a empresa, foi prestada assessoria ao nível do Programa APOIAR.PT e do Programa Adaptar Microempresas.

O Programa APOIAR.PT consiste num apoio de tesouraria, sob a forma de subsídio a fundo perdido, para apoio a micro e pequenas empresas dos setores particularmente afetados pelas medidas excecionais aprovadas no contexto da pandemia de COVID-19.

  • Diminuição da faturação entre 25% e 50% – 10.000€ para as microempresas, 55.000€ para as pequenas empresas e 135.000€ para as médias empresas e empresas a que se refere a alínea b) do artigo 6º (consultar Portaria no final da página).
  • Diminuição da faturação superior a 50% – 15.000€ para as microempresas, 82.500€ para as pequenas empresas e 202.500€ para as médias empresas e empresas a que se refere a alínea b) do artigo 6º.

***

O Programa Adaptar Covid visa apoiar as micro empresas e as PME no esforço de adaptação e de investimentos nos seus estabelecimentos, ajustando os métodos de organização do trabalho e de relacionamento com clientes e fornecedores às novas condições de distanciamento físico no contexto da pandemia de Covid-19, garantindo o cumprimento das normas estabelecidas e das recomendações das autoridades competentes, por forma a assegurar o mínimo impacto na saúde pública.

Verifique outras referências do mesmo setor:

Palavras-Chave

Emotions Celorico / Candidatura / APOIAR.PT / ADAPTAR / COVID-19 / Medidas Prevenção / Portaria

Mais Portfólio

Área Investidores

Antes de submeter o formulário, consulte o nosso portfolio, onde também poderá encontrar o tipo de projetos que temos em carteira.

Caso identifique algum projeto que se enquadre no seu perfil de investidor, dê-nos a indicação, preenchendo os campos abaixo.

Centro de Resolução de Litígios

Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a um Centro de Resolução de Litígios de consumo:

CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo – www.​cniacc.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra – www.​centrodearbitragemdecoimbra.com

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa – www.​centroarbitragemlisboa.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo da Região Autónoma da Madeira – www.​madeira.gov.pt/cacc

Centro de Informação e Arbitragem do Porto – www.​cicap.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Ave – www.​triave.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Cávado – www.​ciab.pt

Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Algarve – www.​consumidoronline.pt/pt/

Para atualizações e mais informações, consulte o Portal do Consumidor em www.​consumidor.pt

(ao abrigo do artigo 18.º da Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro)