AIPAR – Associação de Proteção à Rapariga e à Família

A Associação de Proteção à Rapariga e à Família, também deisgnada por AIPAR, é uma associação sediada na cidade de Faro, que tem como missão “…proteger e promover os direitos de jovens raparigas e apoiar e capacitar as famílias, respeitando as diferenças.”

A AIPAR foi fundada em Faro, em 1934, tendo então o nome de Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude Feminina. Foi criada por um grupo de senhoras da cidade, entre as quais Teresa Ramalho Ortigão, e presta apoio social a jovens de todo o Algarve, desde então.

A AIPAR é uma instituição global, plural e coesa, reconhecida como referência em termos da qualidade da sua intervenção junto dos técnicos da área, da sociedade civil e da tutela, assumindo-se como referencial ao nível do acolhimento de jovens em situação de perigo, da qualificação dos seus ativos e gestão de recursos É uma instituição de referência ao nível da inclusão social e inovadora no campo da formação e participação dos seus públicos alvo, fortemente implicada com os agentes sociais, económicos e culturais.

Associação de Proteção à Rapariga e à Família Programas Pares 2.0 Equipamentos Sociais Becorporate Consultoria em Projetos de Investimento Incentivos Fundos Comunitários

A BECORPORATE acompanhou a AIPAR na candidatura ao programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social–4G (CLDS-4G) com a elaboração de um estudo de viabilidade.

***

O programa CLDS-4G tem como objetivo promover a inclusão social de grupos populacionais que revelem maiores níveis de fragilidade social num determinado território, mobilizando para o efeito a ação integrada de diversos agentes e recursos localmente disponíveis, constituindo-se como um instrumento de combate à exclusão social fortemente marcado por uma intervenção de proximidade realizada em parceria, de forma a:

  1. Aumentar os níveis de coesão social dos concelhos objetos de intervenção dinamizando a alteração da sua situação socio territorial;
  2. Concentrar a intervenção nos grupos populacionais que em cada território evidenciam fragilidades mais significativas, promovendo a mudança na situação das pessoas tendo em conta os seus fatores de vulnerabilidade;
  3. Potenciar a congregação de esforços entre o setor público e o privado na promoção e execução dos projetos através da mobilização de atores locais com diferentes proveniências;
  4. Fortalecer a ligação entre as intervenções a desenvolver e os diferentes instrumentos de planeamento existentes de dimensão municipal.

Verifique outras referências no mesmo setor:

Palavras-Chave

Associação de Proteção à Rapariga e à Família / AIPAR / CLDS-4G / Estudo de Viabilidade

Mais Portfólio

Associação de Proteção à Rapariga e à Família Programas Pares 2.0 Equipamentos Sociais Becorporate Consultoria em Projetos de Investimento Incentivos Fundos Comunitários

AIPAR – Associação de Proteção à Rapariga e à Família

Área

Serviço

Incentivos

Área Investidores

Antes de submeter o formulário, consulte o nosso portfolio, onde também poderá encontrar o tipo de projetos que temos em carteira.

Caso identifique algum projeto que se enquadre no seu perfil de investidor, dê-nos a indicação, preenchendo os campos abaixo.

Centro de Resolução de Litígios

Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a um Centro de Resolução de Litígios de consumo:

CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo – www.​cniacc.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra – www.​centrodearbitragemdecoimbra.com

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa – www.​centroarbitragemlisboa.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo da Região Autónoma da Madeira – www.​madeira.gov.pt/cacc

Centro de Informação e Arbitragem do Porto – www.​cicap.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Ave – www.​triave.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Cávado – www.​ciab.pt

Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Algarve – www.​consumidoronline.pt/pt/

Para atualizações e mais informações, consulte o Portal do Consumidor em www.​consumidor.pt

(ao abrigo do artigo 18.º da Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro)